Gastos com CCs no Estado sobem 24% entre 2015 e 2017

por Pedro Niácome, 18/04/2018 às 10:12 em Política

Em 2015, quando assumiu o Palácio Piratini, o governador José Ivo Sartori reduziu o número de assessores em cargos em comissão de 2.069 (no final da gestão de Tarso Genro) para 1.521, com um economia de R$ 38,8 milhões. A despesa anual caiu de R$ 96,5 milhões para R$ 57,6 milhões. 

Porém, ao longo de 2016 e 2017, Sartori foi preenchendo cargos vagos e fechou o ano passado com 1.664 CCs na administração direta, ao custo de R$ 78,9 milhões, um aumento de 24% nos gastos, considerando a inflação do período. Os dados foram obtidos via Lei de Acesso à Informação.

Nem o decreto de contingenciamento renovado pelo governador de seis em seis meses foi capaz de conter o aumento dos gastos com CCs.

Por meio de nota, o Palácio Piratini justificou o aumento de gastos com o argumento de que, no primeiro ano, os CCs são nomeados ao longo de vários meses e não têm direito a indenizações como férias e 13º integral. A nota diz que “os números de CCs ocupados na administração direta no governo Sartori são os menores dos últimos 10 anos”.

Informações com Rádio GaúchaZH

Foto: Divulgação/Folha do Mate

Tags:   sartori   gastos   ccs   rs



 

Tribuna da Produção

- O conteúdo faz a diferença - 

Desenvolvido por:

Ligue Site