Evandro e Régis: Os novos gestores de Palmeira das Missões

20/11/2020

No último dia 15, a política brasileira realizou o seu maior evento democrático: as eleições.

Ao longo da campanha eleitoral, o jornal Tribuna da Produção apresentou aos seus leitores e eleitores uma série de conteúdos sobre os candidatos que concorreram o pleito nas eleições municipais 2020, em Palmeira das Missões. Dessa maneira, o eleitor pode saber um pouco mais sobre cada candidato e, assim, definir aquele que mais o representaria.

No último domingo, a população palmeirense elegeu Evandro Massing e Régis Lorenzoni para comandar o município pelos próximos quatro anos, na gestão 2021/2024. O partido dos trabalhadores disputou ao executivo com chapa pura, tendo Evandro como candidato a prefeito e Régis como vice-prefeito. Os petistas foram eleitos com 8.344 votos, 46,62% do total de 18.867 votantes.

O bom desempenho do PT foi determinado também e, principalmente, pelas disputas na Câmara Municipal de Vereadores. Dos 16 nomes que compuseram a nominata de candidatos a vereadores, o partido elegeu cinco representantes.

Quem são o prefeito e o vice-prefeito eleitos

Evandro Massing, nascido em Chapada, é filho de pequenos agricultores. Com três anos de idade sua família foi morar em Novo Barreiro. “Conheci a lida da roça: lavrar de boi, plantar milho e soja com máquina manual, dobra milho, colher soja, cuidar dos animais. Uma atividade que me marcou profundamente foi fazer erva mate de carijo; fazíamos todo o processo, desde a colheita da erva, o sapeco, o desgalhe e o enfardamento, a colocação no carijo e o cuidado de uns três dias na secagem da erva, o cancheio com facão de guajuvira e depois era levado ao soque na carroça. A produção era toda para o consumo, guardada em bolsas de estopa e fechado em uma tulha de madeira. Esse processo de fabricação da erva mate deu nome ao nosso Festival Carijo da Canção Gaúcha”, contou.

Evandro é contador por profissão e empresário. Casado com Enise Massing, o casal tem dois filhos, o Enzo e a Elis. Além da graduação em Ciências Contábeis (UNIJUÍ), é pós-graduado em Gestão Empresarial pela UPF, pós-graduado em Contabilidade Gerencial pela UNIJUÍ e pós-graduado em Filosofia pela FAI. No setor público, atuou como Secretário no Governo Marangon-Scariot e foi Diretor de Recursos Humanos do RS por um período. Profissionalmente atuou como consultor do Sebrae por 18 anos, tanto no Sebrae do RS como no Sebrae Nacional.

Em 2007 foi instrutor do curso “Análise de Viabilidade Econômica do Plantio e Esmagamento de Oleaginosas”. Foram três treinamentos na Universidade Petrobras (Montes Claros – MG; Quixadá – CE e Salvador – BA) depois de validar o treinamento junto a UP do Rio de janeiro junto com a UFRJ.

Evandro também trabalhou como professor de pós-graduação em Contabilidade e Controladoria na Ideau em Getúlio Vargas.

No que se refere à atuação social, Evandro sempre esteve envolvido em ações sociais. Começando pela comunidade, em Três Passinhos, Novo Barreiro, atuava no grupo de jovens, trabalhou na Pastoral da Juventude da Igreja Católica na Diocese de Frederico Westphalen; na Pastoral da Juventude do RS e Nacional. Foi presidente de time de futebol e primeiro presidente do Grêmio Estudantil da Escola São João Batista de Novo Barreiro.

Em Palmeira das Missões, ele e sua esposa Enise já foram presidentes do Lions Clube. Massing também trabalhou na ACAIP como diretor e na CDL como tesoureiro.

Régis Lorenzoni, nascido em 05/02/197, é natural de Palmeira das Missões, filho de Sadi Lorenzoni e Ivany de Lima Lorenzoni, ambos in memoriam. Casado com Melissa Smaniotto Bonesso, pai da Isabelle e da Sofia Bonesso Lorenzoni. É empresário, contabilista, desportista.

Na comunidade, no que se refere à atuação social, Régis realizou inúmeras atividades. Entre elas destacam-se a de tesoureiro da ACAIP por dois mandato; tesoureiro da ASCOPAL; sócio fundador e tesoureiro da Associação da Escola de Música e Arte Rotary Clube; vice-presidente do Esporte Clube Palmeirense e atleta amador, na categoria Juniores; conselheiro do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente - COMDICA; secretário, vice-presidente e presidente do Rotary Club.

Desde dezembro de 1991 trabalha no Escritório Contábil e Despachante de sua família (Lorenzoni e Amaral), que teve como fundadores Paulo Amaral e Sadi Lorenzoni. Também foi administrador da Lotérica Lorenzoni Ltda nos anos de 2012 a 2018.

Ao jornal, Evandro e Régis falaram sobre a vitória e a expectativa em conduzir o município na próxima gestão.

Evandro Massing

Quero agradecer a Palmeira das Missões pela confiança que recebemos. Estamos compromissados para conduzir com muita responsabilidade os destinos de nossa terra.

Fizemos uma campanha propositiva e alegre. Identificamos as deficiências e as potencialidades de nosso município. Acreditamos que temos muito a desenvolver e elevar Palmeira a um novo patamar de desenvolvimento.

Já tivemos muitos avanços e conquistas e acredito que podemos muito mais. Temos vários desafios que vamos enfrentar: necessidade de melhorias urgentes na área da saúde pública; avançar no processo de geração de emprego e renda; mobilidade urbana; recuperação das estradas de nosso município; iluminação pública e o grande desafio da conclusão das obras do HPR e o início de sua operação.

O que nos anima é que todos estão pensando no futuro de nosso município e a comunidade quer participar da construção desse novo momento. Eu e o Régis Lorenzoni vamos trabalhar, com toda a nossa equipe, para atender as demandas da comunidade de forma indistinta. Podem contar conosco. E vamos contar com o apoio de toda a comunidade.

Régis Lorenzoni

Posso te dizer que a campanha foi com bastante estratégia, uma campanha bem pensada por todo o grupo que coordenou. Naquele grupo foi sendo somado pessoas. Nós começamos com menos pessoas, pois foi crescendo a parte de marketing e de mídia, foi crescendo com redes sociais e com grupos de apoio as pessoas que se inseriram voluntariamente em vários e diferentes grupos. A campanha foi muito impulsionada pelos vereadores. Nós tínhamos dois vereadores na Câmara, hoje temos cinco e temos a possibilidade de uma sexta vaga tendo em vista de algumas ações que estão correndo na Justiça.

A campanha é bonita, a gente sai e vai conversar com as pessoas, tem as amizades que a gente revê. Conta muita história. A campanha é uma coisa muito bonita, essa é a parte muito legal da campanha. É claro, que tem a parte das estratégias, do pensamento político, de fazer toda a conjuntura do município, analisar e conhecer passo a passo a cidade, conhecer bairro a bairro, conhecer as pessoas. Então, tem uma coisa muito boa na campanha e tem a parte dura também.

Tem que pontuar as dificuldades da cidade, os pontos fracos do adversário, os pontos fortes da gente, tem essa exposição junto. Então, ela tem várias coisas que passam por dentro da campanha. Tem a parte jurídica da campanha, a parte de prestação de contas, de arrecadação, não é um fato isolado. Aquilo que às vezes as pessoas enxergam no Facebook, num debate, mas até chegar ao debate, vamos comparar a um jogo de futebol. Quando a gente chega num jogo de futebol, até chegar ao jogo teve todo um treinamento, teve o roupeiro que preparou a roupa, teve um rapaz que limpou a chuteira, teve o que cortou e cuidou do gramado. Então, tem uma infraestrutura muito grande até chegar ao momento do debate, até chegar o momento de sairmos para as ruas fazer a campanha. E a população, desta forma compreendeu e nós conseguimos nos fazer entender também para população e, fomos vencedores.

Sei que até hoje tem algumas pessoas se perguntando como que eles conseguiram, sem nenhuma aliança, sem nenhuma coligação vencer as eleições, as pessoas se perguntam até agora. E nós também, é o que a gente dizia desde o começo, que nós iríamos fazer uma coligação com a cidade de Palmeira das Missões, com as pessoas de Palmeira das Missões. Nós falamos isso várias vezes e isso, de fato aconteceu.

Nós já fomos procurados por vários empresários aqui da cidade e por empresários da região, fomos procurados pela UFSM-PM propondo algumas atividades em conjunto com o município. Fomos procurados pelo consórcio que adquiriu a planta da Nestlé aqui em Palmeira das Missões. Então, agora já começou algumas coisas da própria administração. Nós sabemos dos desafios, das dificuldades, nós vamos viver um pós-guerra que é o pós-covid, quando terminar a pandemia depois que vier uma vacina. Nós vamos viver um novo momento e um momento de muita dificuldade financeira onde teremos que combater a fome e a miséria. Claro que fome e miséria se combatem com propostas nacionais, mas nós temos que atender a população aqui embaixo, aqui na ponta, os municípios são pontas.

E nós vamos fazer isso aqui em Palmeira das Missões e vamos cumprir tudo aquilo que nós falamos para a nossa população, que é fazer uma grande administração com propostas administrativas para o município. Vamos deixar um pouco de lado as políticas partidárias e vamos dar mais ênfase às políticas administrativas.

Este é o objetivo, dar ênfase às políticas administrativas e fazer com que a gente possa, no futuro, dar os melhores resultados para a cidade. Quando a gente administra há quatro anos, os reflexos de uma administração de quatro ano, têm oito ou dez anos para frente ainda, com reflexos tanto positivos como negativos. Nós viemos de uma administração que vai ter reflexos negativos pela frente, mas nós queremos deixar no futuro uma administração com reflexos positivos para Palmeira das Missões.

Carine Zandoná Badke/TP